“Sente no amago o ímpeto de encarar o mundo”

As vezes penso, por que esse pesar, porque ainda me importo
As minhas entranhas borbulham algo que eu nem sei de onde…
Mais pesado que uma flor, mais denso do que tu pensas de mim, receba de mim
A cabeça perdida, milhões de devaneios bons e ruins, gentileza, sutileza atitudes pouco usadas, ousado com furor fétido, exótico que escorre em arrogância pois mudamos, mas foda-se o que os outros acham, acharão ou podem achar…Assim como o rio seguimos o fluxo dos descontentes e desorientados da mesma forma como sempre fomos.
De humano que me considero as vezes só queria contato
Me desculpe pelo incomodo.
Meu estomago dói, porque está carregado desta droga que ainda insiste em pairar no ar (fétido) que respiro, inspiro e transpiro exalando esse cheiro que impregna na pele profundamente tem sabor amargo, metálico, zinco, carboidrato, sujo eis me aqui a cuspir o sangue sem ao menos saber se o amor realmente existe, sem saber qual o sentido disso tudo e da vida que tanto e tantas vezes recusamos senti-la. Damos importância apenas ao vício do que os outros pensam em uma doente existência completa, deturpada e letárgica de valores duvidosos, vista pelos olhos “enfumaçados”, “embaçados” ou dilatados.
Para a nossa alegria e negação, para nossa contemplação dos nossos preconceitos que insistimos em esconder.
Ao fim dessas frases, me desculpe por não ter sido breve.
14495519_1328401623857083_8972799125389579040_n
Anúncios

Feeling thoughtful.

“O destino a Deus pertence”. Frase muito usada por algumas pessoas…E essa é a questão
O destino a um Deus pertence?
Partimos da premissa do conceito religioso no monoteísmo, apenas existe um Deus e criador de tudo e de todos, um Deus monoteísta que foi sendo criado na antiguidade, já nas religiões politeísta no oriente já tem uma relação mais intrínseca com a natureza e pode ser também influenciado pela cultura, pelo seu povo e época.
Tudo o que acontece na vida ou aconteceu até agora foi planejado? Pois se temos um livre arbítrio cristão contraditório, onde um Deus ou a manifestação dele onipresente, onipotente onisciente nos concede essa dadiva contraditória?
Todas as escolhas (boas e ruins/o certo e o errado)
Podem ser denominadas como certo e errado a partir de um certo ponto de vista, pois o divino se isenta dessas definições que são totalmente criadas pela sociedade.
Tudo começou e tendeu a se desenvolver no conceito de certo e errado a partir do zoroastrismo iniciado pelos gregos e adotado e desenvolvido com os persas
Temos a partir daí o conceito de bem e mal de certo v.s. errado
Mas e o nosso trajeto ou passagem por esse plano terrestre
Já está marcada traçada, pré definida?
Não tem como afirmar que tudo está traçado ou definido se fugirmos do conceito calvinista que prega a premissa de que qualquer ocorrência é o resultado do plano de Deus, que é o criador, preservador, e governador de todas as coisas, sem exceção.
Mas bem, sabemos que o fim é certo, todos sabem disso
(Nossa única certeza na vida).
Estamos entregues ao desespero?
Ao fracasso?
A uma inútil existência?
O destino a um Deus pertence?
Em que você acredita?
Eu acredito na falta, no vazio, na angustia
No medo, na incerteza, no desespero…
Mas creio fielmente no Amor, na união, na paz
E felicidade…
Intensamente acredito na vida, no humano (demasiado humano)
Como individuo falho, mutável às vezes supérfluo
De inúmeras facetas e totalmente capaz de saber comandar o seu próprio rumo, destino.
“O homem faz a si próprio”.