“Sente no amago o ímpeto de encarar o mundo”

As vezes penso, por que esse pesar, porque ainda me importo
As minhas entranhas borbulham algo que eu nem sei de onde…
Mais pesado que uma flor, mais denso do que tu pensas de mim, receba de mim
A cabeça perdida, milhões de devaneios bons e ruins, gentileza, sutileza atitudes pouco usadas, ousado com furor fétido, exótico que escorre em arrogância pois mudamos, mas foda-se o que os outros acham, acharão ou podem achar…Assim como o rio seguimos o fluxo dos descontentes e desorientados da mesma forma como sempre fomos.
De humano que me considero as vezes só queria contato
Me desculpe pelo incomodo.
Meu estomago dói, porque está carregado desta droga que ainda insiste em pairar no ar (fétido) que respiro, inspiro e transpiro exalando esse cheiro que impregna na pele profundamente tem sabor amargo, metálico, zinco, carboidrato, sujo eis me aqui a cuspir o sangue sem ao menos saber se o amor realmente existe, sem saber qual o sentido disso tudo e da vida que tanto e tantas vezes recusamos senti-la. Damos importância apenas ao vício do que os outros pensam em uma doente existência completa, deturpada e letárgica de valores duvidosos, vista pelos olhos “enfumaçados”, “embaçados” ou dilatados.
Para a nossa alegria e negação, para nossa contemplação dos nossos preconceitos que insistimos em esconder.
Ao fim dessas frases, me desculpe por não ter sido breve.
14495519_1328401623857083_8972799125389579040_n

#Mœbius by Obasquiat

obasquiat-moebius-cover-art

Band: Obasquiat
Album: #Mœbius (2017)
Launch by Sunyatha Records – Netlabel
unlimited streaming/free download:
Sobre o álbum visto e ouvido de forma onírica e lúdica
O álbum representa uma síndrome artística e sincera e iremos chama-la de síndrome de #Mœbius que é e irá representar um distúrbio neurológico de interrupção sonora eletroacústica de ideias extremamente raro.
Decorre do desenvolvimento de enchimento acústico anormal muito intenso dos nervos e grooves cranianos, resultando na morte de várias células do cérebro que refugiam as captações sonoros do universo único e onírico que são as dos músculos e do rosto, da alma da essência e virtude e por isso possui como principal característica a perda total do pudor e bom senso crítico, social e filosófico ou parcial dos movimentos que são responsáveis pelas expressões e motricidade ocular e auditiva
Apenas sujeira propagada pelo ar, transmitido por mentes insanas ou bipolares
Um som mais orgânico a banda como um todo e a exploração de novos timbres é basicamente o que define este álbum, a proposta é mostrar novas direções, camadas acústicas e novas influências e experimentação.
Os flertes variam entre o jazz livre, o rock experimental e algo de música brasileira e noise rock.
Algumas faixas têm a participação especial de amigos, grande parte do álbum foi gerado a partir do ócio criativo, este álbum apresenta composições autorais (de conteúdo questionável)
Gravado modo rústico o álbum é uma mutável transcendência de compilações antigas e registros narcisistas que irão auto dissolver ao simples toque, então divirta-se.
#alternative#experimental#avantgarde#rock #freejazz #noise

 

The future is black past and present also – Ep by Obasquiat

collage1

https://bandcamp.com/EmbeddedPlayer/album=1565523346/size=large/bgcol=ffffff/linkcol=0687f5/tracklist=false/artwork=small/transparent=true/

Na data 13 de maio mas não de 1888 mas sim de 2016 não venho citar a “abolição” (ou coisa para inglês ver) mas sim fazer a exaltação da etnia sem se vitimizar mas com orgulho entrego-lhes esse meu manifesto artístico baseado no conceito do afrofuturismo e a toda cultura nossa que de nós foi retirada heis as metáforas sonoras do futuro aqui agora ecoam no novo ep do meu projeto Obasquiat
 
“The future is black past and present also” – Ep:
 
Este EP é apenas uma amostra um “souvenir” sonoro e delinear do próximo álbum.
A base deste ep é mostrar um som mais orgânico da banda como um todo, fugindo da ideia de trabalhar as “colagens” sonoras
Apesar de ser um trabalho recente e com novos sabores, este ep é um traço da identidade da banda, mostrando um lado com mais referências de rock alternativo e do jazz, poesia e música Africana.
A proposta do álbum é ter mais contato e trabalhar mais os conceitos do Afrofuturismo um, resgate da cultura negra ancestral, não é um retrocesso mas sim a busca pela verdade e valorização, auto afirmação do negro e toda a sua cultura, arte e musica tudo isso utilizando de elementos futuristas, pois no álbum a concertos com sintetizadores e novas tecnologias a busca pela modernidade sonora através da ancestralidade da identidade do povo negro, desmistificada e agregando o seu real valor
Este trabalho esta mais focado e menos espontâneo, com a participação de alguns músicos e com a introdução de novos instrumentos e ideias
Um novo ciclo está se formando, criando e buscando novos sons e experiências, assim este extended play (EP) deve ser considerado o primeiro passo do novo ciclo que esta se formando.
Com boas vibrações Saúdo-vos com essas metáforas sonoras de nossas vidas, todos são bem-vindos e divirtam-se tanto o quanto possível!
Sente-se, fique a vontade, compartilhe sempre o amor ao próximo.