SamPaulo (A paranoia infernal)

Agora sim, estou acabado
Termino, resto em cacos.
Tédio, fatigado…
Porque deveria me importar (com você )
Olhos têm p/ todos os lados.
Vozes escutas, mas não tenho ouvidos p/ elas.
Paciência esgotou… Preciso virar a ampulheta
A ansiedade coroe meus pés
O corpo agita-se como que com vontade própria nada posso fazer apenas esquecer.
Persisto no erro de olhar o relógio e este pinga minutos, com dificuldade e não escorre.
Será que em algum momento vou surta?!
(Preciso sair!).
A cidade move-se
Pessoas apressadas em seus mundos, chuva vem.
Que molha, não anima os ânimos.
Povo carrancudo, cicatrizado pela ignômia de suas vidas.
E enquanto isso faço parte desse circo de tristes trabalhadores, desempregados, jovens, velhos e vagabundos que habitam essa colmeia de desafortunados, persistentes em erros.
Ainda em equilíbrio, pois um rascunho de papel alivia alma.
Ainda chove, agora com mais força, ainda ouço as vozes de alguém que nem sei
“Senhor!”, “Senhora!”; “Muito obrigado!” formalidades estúpidas!
Mas fazer o que?
Desconfio que com certeza o futuro é incerto,tento encontrar tempo pra pensar…o sistema tem que trabalhar.
Um dia, assaltos,outros, acidentes e mortes mais adiante roubos e furtos,violência.
A droga paira nos ares de nossa abençoada cidade e o que eu faço…?
Esquivo desse caminho (quando consigo)
Risos p/ disfarçar o choro compulsivo
A cada dia sobrevivo e isso já é uma vitória.
Talvez a paciência seja uma virtude
Talvez “levar patadas” seja algo digno
Com certeza a arrogância ainda tem destaque em nossos dias, compramos “status”
Isso ainda conta,você é o quanto ganha e o que veste.
Essa condição estressante e obrigatória do trabalho faça o seu serviço e seja um numero, vista um terno e seja “O correto”
Ainda corre a imagem manchada da aparência, submeta-se a esse mundo agarre-se ou morra.
Seja usado…descartado, transformado em maquina, em forma de maquina com certeza morrei tentando ser algo,mas nunca o serei.
Viver à margem (marginal)
Com intelecto periférico no degrau de baixo…o que mais poderia fazer?
Aceitar o ostracismo
Por quê?
Porque sou ocioso!
Porque sou louco!
Porque escrevo,escrevo,escrevo coisas que sei lá o porquê ou sentido delas.
Como um texto, pensamento, poema que aponta para varias direções que é sem um fundamento que apenas “enche linguiça”!

Titulo: “SamPaulo” (VideoClip)
Filmagem,edição e texto: Marco Antonio
Musica: Jeferson Peres (Skeeter).
Tempo de Duração: 3’15”
Data:04/10/2013d.C

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s